sexta-feira, fevereiro 03, 2006

Chá das 5...4, 3, 2, 1...



Passo o dia a beber chá!
No outro dia fui às compras...de chá...mas ando cansada de ver sempre os mesmos chás!
Alguém conhece uma boa casa de chás, com variedades de perder a cabeça? Eu num mesmo dia comprei 2 packs, cada um com diversas variedades de chá, mas sempre dentro da normalidade...

De manhã chego ao escritório e a primeira coisa que faço é ligar a máquina de café (que aqui funciona como máquina de chá), encho-a de àgua, coloco o pacotinho e fico à espera de deixar de ouvir aquele ruído tipico parar para ir encher a primeira caneca do dia! A manhã passa-se assim, entre uma coisa e outra lá se enche a canequita de chá e se saboreia o dito.
Nos dias de muito frio, ainda sabe melhor, aquece o corpo e a alma e dá-me cá um conforto...Hum...
Ás vezes como umas bolachas, ou uns biscoitos que vou comprar ali a baixo à mercearia da zona, mas sabe bem mesmo sem mais nada a acompanhar.

Ao fim do dia e depois de tudo organizado em casa, da miúda estar no seu soninho, ainda me sento no sofá, com a caneca a fumegar e delicio-me com o sabor e com o aroma de um um chá qualquer que me conforta antes de me deitar!
Já se tornou um ritual...
Andei a passear no site da lipton e aqui fica a história do chá...
O Chá era uma bebida conhecida na China desde o longínquo ano de 2737 antes do Cristo... Diz a lenda que o imperador Shen-Nungtendo observado que as regiões mais saudáveis do seu vasto império eram aquelas onde as pessoas só bebiam água fervida,mandou generalizar esse hábito. Um dia, enquanto caminhava pelo bosque, teve sede e logo a criadagem lhe preparou água fervida.Foi então que, com brisa, "duas folhas e uma baga" da árvore dochá caíram na água quente, conferindo-lhe um extraordinário aroma e um deliciososabor. Assim nascia o chá!
Existe ainda uma outra lenda que conta que um Imperador ofereceu uma gruta templo, fora da capital, a um monge chamado de Bodhidarma, para ele poder praticar a meditação.Ao fim de sete anos de meditação incansável,Bodidharma sentiu-se adormecer e, para queas pálpebras nunca mais voltassem a fechar-se,cortou-as e atirou-as para longe. No local ondecaíram nasceu uma planta de cujas folhas se podia preparar uma bebida que tirava o sono: era a planta do Chá.
No Oriente, o chá era visto como garantiade saúde e longevidade, capaz de manteruma pessoa alerta mesmo perante umesforço intelectual prolongado.Uma bebida com tamanhas propriedades não poderia ter ficado "escondida" somenteno Oriente mas foi só em finais do século XV, no auge dos Descobrimentos, que o chá rumoua Ocidente, a bordo dos galeões portugueses. Valioso contributo para a sua popularizaçãofoi dado por Catarina de Bragança, princesa de Portugal, aquando do seu casamentocom o rei D. Carlos II de Inglaterra, em 1662.Inveterada consumidora de chá, que lhe havia sido prescrito pelo seu médico português,levou como presente de casamento uma arca de chá da China, servindo-o na corte aos seus aristocráticos amigos e instaurando, na corte vitoriana, o hábito do Chá das Cinco.No final do século XIX, um inglês de nome Sir Thomas Lipton transformou o chá numa verdadeira paixão: criou culturas próprias, comercializou e revolucionouo mercado europeu com a introdução do chá em saquinhos pré empacotados,para melhor preservação do seu aroma.

Bom, está a terminar o meu chá verde com jasmin e tenho que ir encher a caneca...
Adoro chá!

Votos de um delicioso fim-de-semana!

Imagem e texto itálico retirados do site www.lipton.pt

2 comentários:

mixtu disse...

eh, ehe, e eu que não gosto nada ed chá... mas pelo menos fiqueia saber mais de chá, e não gosto... nem sei porquê...

nica disse...

Com é possível não gostar de chá?!?
Tem/Tens que provar com sentimento... ;o)